Felicidade x comer bem: É POSSÍVEL TER OS DOIS JUNTOS SIM!

by Nem tão frágil assim - outubro 05, 2017

      Olá pessoas que se identificam com a dificuldade de se alimentar bem e ser feliz ao mesmo tempo. Muitas vezes e praticamente 100% delas (vocês concordam?) associamos o prazer na hora de nos alimentarmos. E esse PLIM veio a tona em uma conversa de Whatsapp com algumas amigas. A dúvida que me surgiu era de que: Será que estamos errados quando queremos ser felizes ao nos alimentarmos com aquilo que a gente gosta?
     Para explicar mais sobre o funcionamento de todo o organismo, desde o psicológico até a nutrição conversamos com duas profissionais que ressaltaram o quanto pode ser prazeroso se alimentar bem, mas dar uma escapada do plano alimentar de vez em quando, sem precisar usar aquela tal frase: “Não faço dieta porque quero ser feliz”.

Então, vamos lá para os detalhes!

     De acordo com a psicóloga, Débora Borba Laudelino, a relação de prazer com o alimento começa desde o nascimento, pois a amamentação é o primeiro contato do ser humano com o alimento e este momento vai muito além de nutrir fisicamente o bebê, o leite materno nutre, sacia, mas também acolhe, conforta, e é prazeroso.
     Há outras questões pontuadas pela psicóloga, entre elas a associação da busca do ser humano por aquilo que o faz bem.
 
“É IMPORTANTE CONSIDERAR QUE ALÉM DE NUTRIR, O ALIMENTO É HISTÓRIA, CULTURA, LEMBRANÇA AFETIVA, E QUE SOMOS SERES VIVOS COM VONTADES, SENTIMENTOS E EM CONSTANTE BUSCA DAQUILO QUE NOS DÁ PRAZER”  
Débora Borba Laudelino - Psicóloga
 
     Desta forma, ela pontua que é de extrema importância que se busque ajuda de profissionais especializados com o objetivo de resgatar e estabelecer uma relação tranquila com a alimentação, quando desperta culpa ou sofrimento.
     A nutricionista Giovana Tepassé Trombelli afirma que a alimentação desde muito tempo não é mais associada apenas à sobrevivência, pois hoje já está vinculada ao social fazendo com que ‘alimentar-se’ não seja apenas sinônimo de matar a fome e sim, de juntar amigos, de sair da rotina e de relaxar.

“O ATO DE COMER PASSOU A ALIMENTAR MOMENTOS E CONSEQUENTEMENTE ATINGIR ALGUNS HORMÔNIOS QUE GERAM PICOS DE "FELICIDADE" QUE CAUSA O QUE CHAMAMOS DE VÍCIO”
Giovana Tepassé Trombelli - Nutricionista

     O açúcar, por exemplo, tem sido visto como um grande vilão, principalmente para aqueles que tem se empenhado em pesquisar sobre alimentação saudável. Segundo a nutricionista Giovana, ao ingerir açúcar (direta e indiretamente) o cérebro libera algumas substâncias que são responsáveis pela sensação do prazer seguida de euforia.

“ENTÃO VIRA UMA VERDADEIRA "BOLA DE NEVE", POIS VOCÊ COME, LOGO EM SEGUIDA O CORPO/CÉREBRO PEDE MAIS E ENTÃO VOCÊ COME NOVAMENTE”
Giovana Tepassé Trombelli - Nutricionista


E aí surge aquele porém... “Mas eu sou ansioso(a) e desconto na comida. O que eu faço?”

     Hoje ouve-se muitas pessoas falarem sobre a ansiedade aliada a perda de controle da alimentação. A ansiedade faz com que o organismo busque por prazer para se confortar, é um sistema de defesa natural. A psicóloga Débora explica que essa busca pelo prazer faz com que algumas pessoas procurem por produtos altamente palatáveis (geralmente doces e gordurosos) e deixam de comer alimentos verdadeiros e naturais.

“NA PSICOLOGIA É IMPORTANTE INVESTIGAR E TRABALHAR O QUE ESTÁ CAUSANDO ESSA ANSIEDADE. ALÉM DISSO, CONSIDERO IMPORTANTE PARA A MUDANÇA DESTE COMPORTAMENTO, IDENTIFICAR O QUE MAIS, ALÉM DE COMER, PODE PROPORCIONAR PRAZER E BEM-ESTAR, ALÉM DISSO, APRENDER A IDENTIFICAR E ESCUTAR OS SINAIS DO CORPO (FOME, SACIEDADE, VONTADE, EMOÇÃO) TAMBÉM É DE EXTREMA IMPORTÂNCIA”
Débora Borba Laudelino - Psicóloga


     Comer é uma necessidade fisiológica, assim como dormir e respirar. Por isso, nada mais natural do que comer de forma intuitiva, ou seja, comer quando se está com fome e parar quando estiver satisfeito, entendendo que momentos de excesso também fazem parte da vida, porém, em alguns casos, a intervenção de um nutricionista é fundamental.
     A nutri Giovana conta que no consultório, as pessoas a procuram muito por questões estéticas e até mesmo patológicas associadas aos excessos alimentares, por quererem ajustar algo que está fugindo do controle, e até mesmo causando compulsão alimentar.

“ACREDITO QUE NÃO DEVEMOS DEIXAR DE APROVEITAR MOMENTOS, DE FUGIR DO PLANO VEZ OU OUTRA, MAS DEVEMOS ENCARAR ISSO COMO JANELAS DE OPORTUNIDADE: ELAS SE ABREM, VOCÊ APROVEITA, ELAS SE FECHAM E A ROTINA VOLTA”
Giovana Tepassé Trombelli - Nutricionista


     Débora ainda explica que é importante que a população deposite um olhar atento desde cedo dentro de suas casas, pois com frequência a alimentação vem se tornando apenas um meio para alcançar um objetivo estético. E se o objetivo não é alcançado, surge angustia, culpa e sofrimento. Para as crianças, é muito importante que os pais os ajudem a crescer em paz com os alimentos e felizes com o próprio corpo.

“O FOCO DEVE SER SEMPRE A SAÚDE E NÃO A IMAGEM. CRITICAR O CORPO NA FRENTE DOS FILHOS NÃO É UM BOM EXEMPLO, ESPECIALMENTE NO CENÁRIO QUE ESTAMOS VIVENDO HOJE, CUJA MENTALIDADE ESTÁ VOLTADA PARA DIETA E RESTRIÇÃO”
Débora Borba Laudelino - Psicóloga
#FICAADICA

     Quando se sabe ou suspeita de que alguém próximo esteja com dificuldades, deve-se conversar, sem acusações. A dica da Dra. Débora é de que se procure questionar o motivo do comportamento para entender se existe alguma relação com a alimentação. E a melhor escolha é intervir o mais cedo possível para que a busca por tratamento especializado também possa ocorrer. Profissionais da psicologia, nutrição, psiquiatria e outras especialidades, são grandes aliados ao tratamento de transtornos alimentares. Já a nutri Giovana, afirma que é importante ter EQUILÍBRIO. Levar uma vida saudável na maior parte do tempo, para de vez em quando se permitir.

     E aí, gostaram? Se levarmos uma vida saudável, atentos a questões que nos fazem perder a linha as vezes, tem como ser feliz e ter um plano alimentar mais regrado, para benefício próprio. Lembrando que seguir um plano alimentar vai muito mais além de ter um corpo esculpido, e sim, ser saudável e ser FELIZ. Gostar de si mesmo!


     Para quem ainda ficou com dúvida e quiser se consultar com a psicóloga Debora ou então com a nutri Giovana, segue os contatos:




Débora Borba Laudelino
Psicóloga (CRP 12-13508)
@deboralaudelinopsi
deboralaudelinopsi@gmail.com
(47) 3275-3240




Giovana Tepassé
Nutricionista (CRN - 4099)
@nutrigiovana
nutri.giovana@gmail.com
(47)98822-8977
/NutriGiovanaTrombelli





Posts relacionados

0 comentários